Blog Sonia Gomes


Quando procurar ajuda psicológica?

Muitas vezes em momentos difíceis ou perante vários tipos de problemas que se nos parecem de difícil solução sentimo-nos sós, impotentes e pensámos em procurar a ajuda de um psicólogo; Mas eis que muitas vezes as pessoas hesitam ou desistem por vários motivos: medo, vergonha, preconceito, estigma, desconhecimento ou mesmo por não acreditarem que alguém, neste caso um profissional possa ajudar; Muitas vezes pensam que ir ao psicólogo não passa de uma simples conversa que poderão ter perfeitamente com amigos, familiares, cônjuge; bem como, há ainda muitos que ainda pensam que ir ao psicólogo é para “pessoas malucas”.

Profundamente errado em ambos os casos, pois ter saúde significa não só estarmos bem fisicamente mas também ao nível mental, emocional e social; Por isso, uma ida ao psicólogo muitas vezes previne que uma determinada situação se torne mais grave, agindo então na prevenção e na promoção da saúde mental; Ter saúde mental significa sermo-nos capazes de nos vincular, de partilhar emoções e afetos e sermos capazes de lidar de forma saudável com episódios stressantes normais que ocorrem na vida.

Muitas vezes as pessoas procuram ajuda psicológica em situações de vida difíceis como separações, lutos, morte na família, perdas, divórcio, desemprego, doenças graves afetando isso tudo a sua rotina diária, com prejuízo do sono, da sua vida afetiva, familiar, social e profissional.

As pessoas também procuram ajuda psicológica quando se sentem profundamente tristes, irritáveis, com muita ansiedade, ”nervosos”, perdendo o interesse por coisas que antes lhes davam prazer, se sentem desanimados e sem energia refletindo nas suas relações interpessoais, no trabalho, no seu funcionamento geral afetando toda a sua qualidade de vida.

Frequentemente também as pessoas têm vários problemas físicos, no seu corpo como dores de cabeça frequentes, dores de estômago entre várias outras queixas físicas mas que o médico não consegue diagnosticar porque na verdade o problema não está no corpo mas na” alma”, na mente, nas emoções; e o “o corpo fala” denuncia que muitas vezes o problema é emocional, psicossomático.

A relação das pessoas com substâncias como o álcool, medicamentos, outras drogas ou mesmo com a própria comida nem sempre é saudável porque já têm uma relação de dependência com essas referidas substâncias e isso requer tratamento especializado.

Com frequência ainda há quem procure psicólogo em busca de auto-conhecimento ou seja pretendem se conhecer melhor por forma a lidar de forma mais adequada com as emoções e assim, promover o seu desenvolvimento pessoal.

Sonia Gomes

Psicóloga Clínica